Sexta-feira, 21 de junho de 2024
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Buscar
Fechar [x]
SAÚDE
01/10/2020 20h48

Avaliação de potencial de risco para o coronavírus sofrerá alteração

O objetivo é ter um retrato mais coerente com o atual momento do contágio

A Avaliação do Risco Potencial de cada Região de Santa Catarina passará por uma mudança na forma de mapeamento a partir desta sexta-feira (2). A matriz avaliará índices de transmissibilidade, monitoramento, dimensões, mortalidade e capacidade de atenção nas 16 regiões de Saúde do Estado. 


A mudança na análise dos indicadores propõe um foco maior na atenção primária, tendo em vista a mudança do momento da covid-19 em Santa Catarina. “Compreendemos que o momento é outro. O gerenciamento tira um pouco o foco da ampliação da estrutura hospitalar catarinense, que já aumentamos consideravelmente, e passa a levar em conta o diagnóstico rápido, o monitoramento e o rastreamento dos contatos”, resume o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A nova matriz é construída com o intuito de refletir um retrato mais coerente com o atual momento do contágio, privilegiando uma avaliação detalhada e objetivando prevenir novos surtos em potencial. 


“Não é mais possível olharmos apenas para a covid-19, pensando em nível estadual. É necessário compreendermos realidades regionais”, afirma.


A especialista em Epidemiologia do Centro de Operações de Emergência em Saúde, Maria Cristina Willemann, reforça que alguns indicadores que constavam na matriz de risco potencial regional não estarão mais presentes na atualização da avaliação. Isso porque o monitoramento das regiões projeta deixar a transmissão sustentada para a fase de recuperação.


“Um dos parâmetros de avaliação da intensidade de fluxos, por exemplo, que media o papel das grandes cidades na sustentação da transmissão deixa de ser avaliada. A taxa de afastamentos de profissionais de saúde não será mais considerada, pois é possível que haja uma imunidade coletiva neste recorte populacional e o risco de colapso no sistema hospitalar passa a ser muito menor”, explica Maria Cristina.

Governo de SC - Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.