Sábado, 21 de maio de 2022
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Buscar
Fechar [x]
SAÚDE
27/01/2022 06h40

Tubarão registra três mortes por gripe H3N2 em menos de um mês

SC registrou sete óbitos entre 26 de dezembro e 22 de janeiro, segundo a Dive/SC

Sete pessoas morreram em Santa Catarina por gripe A H3N2 entre 26 de dezembro de 2021 e 22 de janeiro deste ano. A cidade que mais registrou óbitos pela doença nesse curto período foi Tubarão, informou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do estado (Dive/SC) nesta quarta (26). Foram três mortes na Cidade Azul, uma em Balneário Rincão, São Francisco do Sul, Camboriú e Itapema.


Captura-de-Tela-2022-01-27-s-06-34-01


O óbito registrado em Balneário Rincão foi de uma criança de apenas um ano, sem comorbidades, no dia 2 de janeiro. “Até o dia 22/01/2022, dos 84 casos notificados de SRAG por Influenza, sete evoluíram para óbito, sendo que todos confirmados pelo vírus influenza H3N2.


Em relação à idade, dos cinco casos de SRAG por Influenza que evoluíram para óbito, 4 (57,1%) tinham mais de 70 anos. Os óbitos acometeram indivíduos nas faixas etárias: menor de 1 ano (1 caso), de 40 a 49 anos (1 caso), de 50 a 59 anos (1 caso), de 70 a 79 anos (3 casos) e acima de 80 anos (1 caso)”, informou a Dive/SC.


O boletim divulgado pela Dive afirmou ainda que o vírus costuma circular mais no Estado entre maio e agosto e que o número de casos no período é "muito acima do encontrado nos dois últimos anos".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Casos no ano passado

Entre 3 de janeiro e 29 de dezembro de 2021, foram 55 casos de Influenza confirmados em Santa Catarina, sendo um de gripe A H1N1, dois de gripe B, 47 de gripe A H3 e cinco de gripe A com subtipo não identificado ou inconclusivo.

Houve duas mortes: a de uma menina de 12 anos, em Brusque, por H3N2, e de uma idosa que residia em Joinville por gripe A, sem identificação do subtipo.

Cuidados

“Atenção aos sintomas: febre, tosse, dor de garganta e dores nas articulações musculares ou de cabeça. É fundamental, ao apresentar esses sinais, procurar o serviço de saúde mais próximo da residência para o tratamento adequado, em especial os portadores de fatores de risco para agravamento e óbito (idosos, crianças, doentes crônicos etc.), pois estes têm maior probabilidade de apresentar complicações quando infectados pelo vírus Influenza”, diz ainda a nota divulgada pela Dive/SC. Outras dicas de prevenção dadas são:

- Vacinação anual contra a Influenza;
- Lavar as mãos com frequência;
- Usar máscara;
- Evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas;
- Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

- Evitar tocar mucosa de olhos, nariz e boca.


Curta nosso Facebook e acompanhe tudo o que acontece no Sul. Agora: https://www.facebook.com/sulagora

Fonte: Redação, com informações da Dive/SC - Foto: Ilustrativa
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.