Segunda-feira, 28 de setembro de 2020
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • E-mail
Buscar
Fechar [x]
SAÚDE
06/11/2019 08h54

Após macaco ser encontrado morto em Tubarão, bloqueio vacinal está em fase de finalização

O Município de Tubarão está sob investigação após um morador do bairro de Oficinas ter encontrado um macaco morto em frente a sua residência. Não se sabe se o animal possui ou não a doença da febre amarela, mas as providências foram tomadas. A Fundação Municipal de Saúde (FMS) orienta a todos os moradores de bairros próximos a comparecerem as respectivas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para, caso não tiverem a vacina, receberem a dose.
 
O animal foi retirado pela Unidade de Vigilância de Zoonoses e encaminhado imediatamente para o Hospital Veterinário da Unisul, que faz parceria com o município e é responsável por coletar o material para análise e investigação do óbito. Depois que coletado, o material é enviado para um laboratório autorizado do estado, onde o resultado deve sair em torno de 20 a 30 dias.
 
A Vigilância Epidemiológica do Município e de Santa Catarina foram notificadas sobre o caso. Assim, diante do episódio, em um raio de 300 metros do ponto zero, que é o ponto onde o animal foi encontrado, deve-se fazer um bloqueio vacinal nos moradores.
 
O bloqueio vacinal foi iniciado e está em progresso. “Já iniciamos o bloqueio, o protocolo está sendo seguido e esperamos finalizar até as 22 horas dessa terça (ontem), para que a gente consiga imunizar a totalidade certa da população dentro desse raio”.
 
“Quem mora ou trabalha na região das unidades de Oficinas I, Oficinas II e Morro da Caixa, e não tiverem a vacina contra a febre amarela, devem procurar salas de vacinas para se imunizarem”, ressalta a gerente de saúde, Chaiana Marcon.
 
 
Sobre a vacina contra a febre amarela
 
Em janeiro de 2018, a vacina foi inclusa no calendário de vacinação para crianças de 9 meses e adultos que fossem viajar para locais de risco. Depois de alguns estudos no cenário epidemiológico a nível nacional, o Ministério da Saúde (MS), decidiu incluí-la no calendário para toda a população – destes de 9 meses até 59 anos – determinando todo o país como área de recomendação da vacina.
 
Todavia, a vacina é contraindicada para crianças menores de 9 meses, gestantes, mulheres amamentando crianças de até 6 meses, pacientes em tratamento de quimioterapia, radioterapia ou com corticoides, em doses elevadas. Em caso de dúvida, um médico deverá ser consultado para solicitar a autorização.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fonte: Redação
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • E-mail
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia