Quarta-feira, 19 de junho de 2024
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Buscar
Fechar [x]
GERAL
18/11/2020 14h52

Candidato a prefeito derrotado, vereador é preso em Brasília

Luiz Antônio de Campos é apontado pelo MPSC como operador central de núcleo público de organização criminosa

Foi cumprido na manhã desta quarta-feira (18), em Brasília, o mandado de prisão preventiva expedido contra o vereador de Garopaba Luiz Antônio de Campos, o Luizinho, candidato à prefeitura do município derrotado nas eleições do último domingo (15). Luizinho foi denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) como o operador central do núcleo público de uma suposta organização criminosa que teria praticado crimes contra o meio ambiente, contra a administração pública, corrupção e outros.


O mandado de prisão contra o candidato havia sido inicialmente cumprido no dia 29 de outubro, na Operação Ordem Urbana II, mas, na madrugada seguinte, o então candidato obteve uma liminar em habeas corpus que o colocou em liberdade. Em seguida (30/10), o Ministério Público conseguiu a reversão da decisão no TJSC. Porém, neste dia, o investigado não foi encontrado no endereço que forneceu à Justiça, impedindo nova prisão, em função das limitações estabelecidas pela legislação eleitoral.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assim, vencido o prazo de 15 dias anteriores e de 48 horas após o pleito, a 1ª Promotoria de Justiça de Garopaba e o Grupo Especial Anticorrupção (GEAC) solicitaram ao Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) - força-tarefa coordenada pelo MPSC - o cumprimento do mandado de prisão preventiva em aberto.


Diante da informação de que o vereador se deslocou para Brasília na terça-feira (17), o mandado foi cumprido às 6h desta quarta-feira (18), em um hotel da capital federal, pelo Departamento de Combate à Corrupção da Polícia Civil local, com o apoio operacional do Centro de Inteligência e do Gaeco do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios. O vereador será recambiado para Santa Catarina.


Na ação penal ajuizada pelo Ministério Público, o vereador é apontado como operador central do núcleo público da organização criminosa, e atuou como elo fundamental para viabilizar, perante a administração pública, os crimes contra o meio ambiente, contra a administração pública, corrupção e outros.

Ministério Público - Foto ilustrativa
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.