Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Buscar
Fechar [x]
GERAL
04/02/2021 18h05

Análise: na coluna de Lúcio Flávio, as prioridades erradas

Meus amigos bolsonaristas não cabem em si de tanta alegria nesses últimos dias. Desde a vitória do Centrão para comandar a Câmara e o Senado, a um custo de R$ 511.529.626,00 de emendas parlamentares liberadas em janeiro pelo governo, um recorde absoluto, quem é fechado com Bolsonaro diz que agora a coisa vai.


Antes não ia por causa do Rodrigo Maia, é o argumento. Agora, não. Com o Centrão no comando, teremos todas as reformas que até então eram travadas pelo Nhonho - é como o apelidaram. É claro que vai. O governo tem milhões de argumentos para nossos deputados, enfim, aprovarem as reformas que farão o Brasil crescer.


E quais são elas? Desde que eu era criança, e isso já faz tempo, ouço falar que o maior problema do Brasil é a corrupção, que desvia o dinheiro que serviria para construir hospitais, escolas, contratar policiais; enfim, que permitiria ao Estado nos devolver os impostos na forma de bons serviços, tal como acontece nos países desenvolvidos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas, vejam, ontem (3) foi anunciado o fim da Lava Jato, que nos fez acreditar que corruptos iriam para a cadeia. Foi uma morte anunciada por Bolsonaro em outubro do ano passado, quando disse, sem corar, que acabou com a Lava Jato porque não tinha mais corrupção no governo. Se isso fosse verdade, ainda teríamos uma outra prioridade.


Também desde sempre ouço falar que a educação é transformadora, e que faria o Brasil crescer, assim como fez com a Coreia do Sul, por exemplo. Mas ontem, também, Bolsonaro entregou ao Congresso uma lista com 35 prioridades do governo neste ano, entre elas, a autorização para militares matarem em serviço, e a ampliação da posse e porte de armas.


Da educação só se fala num item, que permite o ensino doméstico, pauta defendida pelo guru bolsonarista Olavo de Carvalho. Está na pauta de costumes, para agradar os que o seguem bovinamente. Gostaria de estar otimista como meus amigos bolsonaristas, mas, felizmente, não nutro pelo mito a paixão que os torna cegos.

Fonte: Lúcio Flávio/Região em Destaque/Sul Agora - Foto: Divulgação
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.