Quinta-feira, 25 de abril de 2024
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Buscar
Fechar [x]
MUNDO
19/12/2020 15h52

Mutação do coronavírus faz Reino Unido ampliar restrições

Alemanha, Áustria, França e Itália também estão na lista dos que adotaram medidas para frear disseminação do vírus responsável pela covid-19

O Reino Unido decidiu neste sábado (19) desistir dos planos de aliviar as restrições de circulação durante o Natal diante de evidências que apontam que uma variante do novo coronavírus em circulação pode ser até 70% mais transmissível.


Com a medida, o Reino Unido ingressa na lista de locais que decretaram, nos últimos dias, bloqueios mais rígidos para frear a disseminação da covid-19 antes das festas de fim de ano. A maior parte das medidas foi adotada na Europa, que enfrenta altas nas infecções há semanas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Reino Unido


O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou neste sábado (19) que Londres e o sudeste da Inglaterra passariam do nível 3 de restrições contra a Covid-19 para o nível 4, o mais alto. A mudança irá valer de domingo (20) até 30 de dezembro.


Com as novas medidas, moradores devem ficar em casa, com isenções limitadas. Lojas, academias, locais de lazer e de cuidados pessoais serão fechados. As pessoas devem trabalhar de casa se puderem.


Além disso, moradores de regiões em nível 4 não devem se misturar com ninguém fora de sua casa no Natal.


As restrições vêm em meio ao surgimento de uma nova variante do coronavírus – que pode ser 70% mais contagiosa.


"Dadas as primeiras evidências que temos sobre esta nova variante do vírus, o risco potencial que ela representa, é com o coração muito pesado que devo dizer que não podemos continuar com o Natal como planejado", disse Johnson em entrevista coletiva.


O premiê disse, ainda, que a nova variante do vírus está concentrada nas áreas em nível 4, mas está presente em todo o país.


Em locais fora do nível 4, até três famílias podem se reunir, mas isso será limitado apenas ao dia de Natal, ao invés dos cinco dias que haviam sido estabelecidos antes. As regras não serão relaxadas no dia 31 de dezembro.


Itália


A Itália anunciou, neste sábado (19), restrições de "zona vermelha" que estarão em vigor em todo o país de 24 a 27 de dezembro, de 31 de dezembro a 3 de janeiro e de 5 a 6 de janeiro.


Durante este período, as pessoas "podem sair de casa apenas por motivos de trabalho, necessidade e saúde", disse o premiê, Giuseppe Conte, segundo a rede britânica BBC.


As regras permitirão que as pessoas recebam no máximo dois hóspedes, sem incluir menores de 14 anos, nas suas casas. O toque de recolher atual, de 22h às 5h, permanecerá em vigor.


De 28 a 30 de dezembro e em 4 de janeiro, as pessoas poderão sair de casa, mas os bares e restaurantes continuarão fechados.


Suíça


A Suíça determinou, na sexta-feira (18), que, a partir de terça (22), restaurantes, shoppings, ginásios esportivos, academias e outros locais de lazer terão que fechar. As lojas permanecerão abertas, mas com capacidade limitada. As medidas vão vigorar até 22 de janeiro.


Alemanha


A Alemanha está em "lockdown parcial" até 10 de janeiro. Apenas serviços essenciais, como supermercados, farmácias e bancos, poderão funcionar neste período.


Desde quarta-feira (16), só podem se encontrar, no máximo, 5 pessoas ao todo, de 2 casas diferentes. Crianças e adolescentes de até 14 anos não entram na conta, mas esse limite de idade varia no país: em Berlim, por exemplo, só adolescentes de até 12 anos não são contados.


No Natal, as regras serão um pouco relaxadas: de 24 a 26 de dezembro, o limite de pessoas poderá ser ultrapassado, e os visitantes poderão vir de mais de 2 casas. Adolescentes de até 14 anos também não serão contados nesses dias.

G1
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.