Sábado, 25 de maio de 2024
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Buscar
Fechar [x]
MUNDO
28/04/2024 14h14

Médicos se recusam a desligar aparelhos após decisão judicial no Peru

A Justiça decidiu que mulher tem o direito de recusar o tratamento médico que a mantém viva artificialmente

Doze médicos do EsSalud, a seguradora pública de saúde do Peru, se recusaram a desligar aparelhos que mantêm a administradora peruana Maria Teresa Benito Orihuela, 66, viva. Em 1º de fevereiro, a Justiça decidiu que ela tem o direito de recusar o tratamento médico que a mantém viva artificialmente. É a primeira sentença do tipo no país, segundo a advogada Josefina Miró Quesada, que defende Maria Teresa.


Maria vive presa permanentemente a um ventilador mecânico conectado a uma traqueostomia e se alimenta por sonda ligada ao estômago. Os médicos que recusaram a decisão judicial invocaram a lei de Liberdade Religiosa e a objeção de consciência, um direito que a categoria tem de não praticar atos que atentem contra seus valores pessoais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A juíza encarregada do cumprimento da sentença deu 15 dias para que o EsSalud apresente um médico que concorde em desligar os aparelhos. O prazo começou a ser contado no último dia 22. Enquanto isso, a defesa já solicitou que um médico particular cumpra a decisão.


Receba outras notícias pelo WhatsApp. Clique aqui e entre no grupo do Sul Agora.

Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.