Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Buscar
Fechar [x]
GERAL
09/06/2021 08h45

Família do soldado Esmeraldino pede ajuda para construção de espaço adaptado

Esmeraldino foi baleado no abdômen durante o assalto ao Banco do Brasil, em Criciúma, onde atuava no 9º Batalhão de Polícia Militar

Um garoto estudioso, dedicado a todos, que cresceu e realizou o sonho de cuidar das pessoas. Virou policial militar e, como diz a mãe, Sandra Aparecida Nunes, “sabia dos riscos que corria e, mesmo assim, amava o que fazia”. Foi durante a noite do dia 30 de novembro de 2020 que a vida do tubaronense Jeferson Luiz Esmeraldino e da sua família mudou para sempre.  


Esmeraldino foi baleado no abdômen durante o assalto ao Banco do Brasil, em Criciúma, onde atuava no 9º Batalhão de Polícia Militar. Ficou dois meses internado e hoje segue acamado, vivendo na casa da mãe, em Tubarão. “Ele se alimenta por sonda e respira por traqueostomia. Não tem nível de consciência e o médico nos disse para não criar falsas esperanças”, explica Sandra.


É na casa dela, no bairro Passagem, que o soldado recebe os principais cuidados diários, tanto da família quanto do serviço contratado pelo governo do Estado. Enfermeiras se revezam 24 horas, além do tratamento de fisioterapia, fonoaudiologia e com nutricionista. Sandra explica que a casa não é adaptada e, por isso, enfrenta diversas dificuldades para cuidar do filho.


“Aqui ele recebe todo o amor e carinho, isso não falta. Mas a casa não tem estrutura adequada. Onde ele fica é uma sala ampla, faz muito frio, a janela dá direto para a estrada e não é muito seguro. Por isso, estamos pedindo ajuda para poder construir um espaço melhor para ele e também para quem apoia no tratamento”, conta.


A família iniciou uma campanha de arrecadação de materiais de construção para criar esse espaço adaptado na residência da Sandra. A obra será feita atrás da casa atual, criando uma peça adaptada, onde Esmeraldino possa ter um quarto fechado, com mais privacidade, banheiro e uma área para a equipe que cuida dele.


“Além disso, vamos fazer uma abertura lateral no portão, onde a ambulância poderá acessar a porta dessa edícula. Esses dias, para fazer exames, ele precisou ser deslocado de maca, na chuva, até a ambulância. O que queremos é dar mais conforto e segurança nesse sentido”, ressalta a mãe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Como ajudar


Quem quiser ajudar, pode doar através da conta poupança 935972616, dígito 3, tipo 1, em nome de Sandra Aparecida Nunes, CPF: 966.611.789-49. O número do CPF também é a chave Pix para doações.

 

“É tudo o que eu posso fazer”, diz mãe


A PM anunciou que Esmeraldino, hoje com 33 anos, foi reformado por incapacidade física. Na prática, significa a passagem oficial do tubaronense à condição de inatividade. Segundo a mãe, Sandra, o Estado tem dado todo o apoio no tratamento e o soldado já foi vacinado com a primeira dose da vacina contra a covid-19.


A família faz acompanhamento psicológico, incluindo a filha dele, de cinco anos. A menina mora com a ex-mulher de Esmeraldino. “Estamos sofrendo muito. Sempre digo que o tiro que ele levou dói mais na gente do que nele. Ele saiu de casa para trabalhar e voltou outro. Mesmo assim, dou graças a Deus que ele está aqui, que eu possa cuidar dele. Não é fácil, mas é tudo o que eu posso fazer”, finaliza Sandra.

Fonte: Redação
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.