Quarta-feira, 29 de maio de 2024
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Buscar
Fechar [x]
GERAL
27/02/2024 07h18

Cidade da região está com alto risco de transmissão da dengue

São Ludgero aparece entre os 47 municípios de Santa Catarina que apresentam alto risco de transmissão da doença

Santa Catarina possui 47 municípios em alto risco de transmissão de dengue, entre eles São Ludgero, segundo o boletim epidemiológico sobre o Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) de 2024.


Tubarão e Imbituba aparecem com risco baixo de transmissão. Todas as  três cidades já foram listadas como infestadas pelo mosquito em outras oportunidades.

Santa Catarina já registra dez mortes por dengue em 2024. Desses, sete casos ocorreram em Joinville e um em Araquari, Itajaí e Itapiranga, cada.

Na última quinta-feira (22), o governo de Santa Catarina publicou o decreto que institui situação de emergência em todo o Estado, em razão do aumento de casos e mortes por dengue.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti precisam realizar o levantamento para a identificação de áreas com maior proporção/ocorrência de focos, bem como dos criadouros predominantes, indicando o risco de transmissão de dengue, chikungunya e zika.

Neste ano, 155 municípios foram orientados a realizar o Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa). Porém, três (Apiúna, Itajaí e Penha) não realizaram a atividade devido ao aumento de casos de dengue, cenário que já indica um alto índice de infestação.

“Os dados demonstraram um aumento significativo nos municípios classificados com médio risco. Em março de 2023, foram 38,4% dos municípios nessa condição, enquanto este ano o percentual subiu para 46%. Também ocorreu aumento dos municípios classificados em alto risco. Este cenário reflete a realidade que o estado vem enfrentando este ano com o aumento de 650% dos casos prováveis de dengue quando comparado ao mesmo período do ano anterior”, alerta João Augusto Brancher Fuck, diretor de Vigilância Epidemiológica do Estado.

Além de apresentar o risco de transmissão das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, o LIRAa fornece informações referentes à quantidade e ao tipo de recipientes inspecionados, ou seja, locais que apresentam água, e que podem servir como criadouros para reprodução do mosquito.

Receba outras notícias pelo WhatsApp. Clique aqui e entre no grupo do Sul Agora.

Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.