Quarta-feira, 26 de janeiro de 2022
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Buscar
Fechar [x]
SAÚDE
02/12/2021 08h28

SC atinge 20 mil mortes por covid em meio a alerta com a variante ômicron

Para superintendente em vigilância da saúde, o mundo vive hoje um 'dilema sanitário' que pode ser melhorado com imunização coletiva

O governo do Estado informou que há 1.233.516 casos confirmados de covid-19. Desses, 1.209.453 são considerados recuperados e 4.063 continuam em acompanhamento. O dado foi divulgado nesta quarta-feira (1º). O novo coronavírus causou 20.000 mortes no estado desde o início da pandemia. Esses números colocam a taxa de letalidade em 1,62%.

Houve mais oito óbitos registrados em comparação com o último boletim. A quantidade de casos confirmados aumentou 604 e outras 606 pessoas passaram a ser consideradas recuperadas, segundo estimativa do governo do Estado. São 10 casos ativos a menos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O governo do Estado estima que haja 73 municípios sem casos ativos. A região com a maior quantidade de casos ativos hoje, proporcionalmente à população, é o Extremo-Sul, que tem 103 para cada 100 mil habitantes. Em seguida, estão Xanxerê (100) e Grande Florianópolis (92). As que menos têm são Planalto Norte (22), Alto Uruguai Catarinense (22) e Alto Vale do Itajaí (24).


Atualmente, há 1.236 leitos de UTI Adulto ativos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o estado, dos quais 783 estão ocupados, sendo 205 por pacientes com confirmação ou suspeita de infecção por coronavírus. A taxa de ocupação de UTI Adulto é de 63,3%.


"Dilema sanitário"


Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde do Estado, Eduardo Macário, protocolos são estabelecidos para evitar novas perdas, mesmo em uma fase de transição para a normalidade.


"Eu acredito que essas 20 mil vidas têm que ser honradas e respeitadas, e que ao mesmo tempo os familiares dessas pessoas tenham a compreensão que os órgãos de saúde estão trabalhando duro pra salvar cada uma dessas vidas", afirma Macário.


Apesar da preocupação com a variante ômicron, o número de mortes em Santa Catarina está em queda desde abril deste ano. Em novembro, foram registrados 280 óbitos, uma redução em comparação com outubro, quando houve 378 vidas perdidas para a doença.


Segundo Macário, a queda das mortes no Estado tem ligação com os altos índices da vacinação. Santa Catarina já ultrapassou a marca de 5 milhões de pessoas completamente imunizadas.


"À medida em que a vacina avançava, houve uma queda na letalidade da doença. Então, mesmo com o surgimento de uma nova variante, a delta, que hoje já é maioria aqui em Santa Catarina, não aconteceu uma quarta onda, porque a cobertura vacinal estava alta",  argumenta o superintendente.


O Estado espera que, até 15 de janeiro de 2022, perguntas sobre a nova variante ômicron sejam respondidas para que os protocolos atuais sejam revisados. Para Macário, o mundo vive hoje um "dilema sanitário", que pode ser melhorado com imunização coletiva.

"As medidas de distanciamento são eficientes, mas causam um quadro de estresse social e cansaço. Elas são muito comportamentais, então, tem esse dilema sanitário. Mas com a vacina, a covid-19 deixou de ser uma pandemia, uma doença desconhecida, para se tornar uma doença imunoprevinível", pontua.

Fonte: Governo de Santa Catarina e NSC Total - Foto: Ilustrativa
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.