Terça-feira, 11 de maio de 2021
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • E-mail
Buscar
Fechar [x]
SAÚDE
04/05/2021 07h52

Região registra o primeiro caso de febre amarela em humano

Homem tem 29 anos, é morador de Imbituba e caso foi confirmado pela Dive/SC nessa segunda

Um homem de 29 anos, morador de Imbituba, é o primeiro caso da região de febre amarela em humano. O diagnóstico foi confirmado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/SC) e divulgado nesta segunda (3) pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC).


Por nota, a Dive explica, no entanto, que apesar de ser morador de Imbituba, o local provável de infecção (LPI) do homem foi em Urussanga. Ele está internado no Hospital Nereu Ramos, na capital.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dos sete casos confirmados da doença nesse ano em SC, dois não resistiram e foram a óbito. O primeiro foi um homem, de 34 anos, morador de Águas Mornas, na Grande Florianópolis. O outro, de um morador de 59 anos, de São Bonifácio, também região da Grande Florianópolis.


Os outros casos já confirmados são de Taió, Águas Mornas, Anitápolis e Blumenau.


Segundo a Dive, nenhum dos casos confirmados tinha registro de vacina no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI).


Vacinação


A melhor forma de prevenir a febre amarela é com a vacinação. “Todos os moradores de SC com mais de nove meses devem ser imunizados. A dose está disponível nos postos de saúde”, destaca Arieli Schiessl Fialho, gerente de imunização da Dive/SC.


A febre amarela é doença infecciosa febril aguda. Em ambiente silvestre, os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus. No ciclo urbano, o vírus é transmitido ao homem pelo mosquito Aedes aegypti.


Os macacos, que vivem no mesmo ambiente silvestre que os mosquitos, são as primeiras vítimas da doença. “E é por esse motivo que é importante que a população comunique a Secretaria Municipal de Saúde ao encontrar um macaco morto ou doente. Isso nos ajuda a acompanhar a circulação do vírus pelo estado”, explica Renata Gatti, bióloga e coordenadora do Programa de Vigilância da Febre Amarela em SC.


Os principais sintomas da doença são: início abrupto de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas e no corpo, náuseas e vômitos, fraqueza e cansaço, dor abdominal e icterícia (pele amarelada).


“Ao apresentar algum sinal ou sintoma, é importante procurar atendimento médico imediatamente. É importante também relatar no atendimento se é morador de borda de mata ou se realizou alguma atividade em matas nos últimos dias e se não tem a dose da vacina”, alerta João Augusto Brancher Fuck, diretor da Dive/SC. 

Fonte: Redação - Foto: Ilustrativa
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • E-mail
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia