Domingo, 05 de abril de 2020
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • E-mail
Buscar
Fechar [x]
SAÚDE
28/11/2019 06h51

Novembro Azul: Cristo Redentor muda de cor para ajudar na campanha de luta contra o diabetes

Projeto visa a conscientização sobre a doença

O Cristo Redentor entrou na luta contra o diabetes, uma doença crônica silenciosa, mas com efeitos devastadores. A iluminação azul desta quarta-feira (27) foi para lembrar o novembro azul, mês de conscientização sobre a doença, que pode ser prevenida e controlada, garantindo qualidade de vida para os pacientes e evitando danos maiores, como explica o diretor de campanhas públicas da Sociedade Brasileira de Diabetes, Márcio Krakauer.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Diabetes é a maior causa de morte por doença cardiovascular, de cegueira e de amputações. De todas as pessoas que morrem de infarto, a maioria é por diabetes. Pode não matar o açúcar no sangue em si, não é a causa de morte, mas leva à morte por derrame e por doença cardiovascular. Hoje, de 20% a 30% de todas as internações de um hospital são devidos a complicações do diabetes”.

Ele enfatiza ainda que metade dos mais de 16 milhões de brasileiros com diabetes não sabe que tem a doença. Portanto, o principal alerta é para a medição da glicemia, especialmente para as pessoas que estão nos grupos de risco, que devem fazer exames anuais a partir dos 40 anos.
 
“Indivíduos que têm pais, mães, tios, irmãos com diabetes; pessoas que estão acima do peso; os hipertensos; os indivíduos que fumam; pessoas inativas; mulheres que tiveram diabetes na gravidez ou filhos grandes, acima de quatro quilos. Exames simples na ponta do dedo ou no laboratório você já pode fazer o diagnóstico não só do diabetes, mas do indivíduo que está pré-diabético”.

Este ano, o mote do movimento organizado pela Federação Mundial de Diabetes é a família, que pode ajudar, inclusive, no estímulo para a realização dos exames. E em caso de diagnóstico positivo, Krakauer salienta que o engajamento de todos é fundamental.

“A pessoa que tem diabetes vai querer mudar a alimentação dela, mas todo mundo da família continua comendo mal, errado. Não adianta. Então é o engajamento da família inteira na boa alimentação, na prática de atividades físicas, no uso das medicações, quando tem que aplicar insulina é muito importante, a lembrança de tomar remédio para os idosos que têm dificuldade de lembrar”.

O mês de novembro foi dedicado ao diabetes graças a uma resolução da Organização das Nações Unidas de 2006, que escolheu o dia 14 deste mês como o Dia Mundial de Diabetes. Desde então, diversas ações são realizadas ao longo do mês em todo o mundo.

Fonte: EBC
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • E-mail
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia