Sábado, 26 de setembro de 2020
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • E-mail
Buscar
Fechar [x]
SAÚDE
05/11/2019 08h30

Além da sede: boca seca pode ser causada por remédios ou estado emocional

Dá para entender porque Hipócrates foi seguido pelos médicos de todo o mundo, até os anos 1800. Desde o século V a.C. ela afirmava que o corpo tem uma sabedoria própria. Isso explicaria a sincronia do funcionamento orgânico que garante a boa saúde. E desse sistema perfeito nada escapa, nem mesmo a saliva. Quando a boca fica seca, um desequilíbrio orgânico se estabelece: você não só perde a proteção contra cáries, como também prejudica a sua digestão, a fala e ainda abre as portas para doenças sistêmicas e locais.

A expressão boca seca geralmente é a forma subjetiva como as pessoas relatam ao dentista a falta de lubrificação bucal. Porém, entre os especialistas, o termo utilizado para definir esse estado é xerostomia, hipossialia ou hipossalivação —estejam ou não presentes a redução do fluxo ou da quantidade de saliva. Um estudo sobre a prevalência dessa condição no mundo todo concluiu que um em cada quatro pessoas tem o problema, sendo ele mais comum entre os idosos. Os dados foram publicados no periódico Brazilian Dental Journal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para que serve a saliva? A saliva tem papel importante no equilíbrio do corpo e possui muitas funções. Uma delas é o auxílio da digestão. Além de ajudar na formação do bolo alimentar, a secreção é composta por enzimas que provocam a degradação do amido (carboidrato), dando início ao processo digestório. A saliva também contém um antiácido que protege a mucosa bucal, bem como anticorpos que evitam a entrada de bactérias no organismo e ainda mantêm lubrificados os dentes e as gengivas. Para quem usa prótese, ela atua como fator de retenção.

Por que a boca fica seca? Denise Tibério, presidente da Câmara Técnica de Odontogeriatria do CROSP (Conselho Regional de Odontologia de São Paulo), diz que a boca seca tem muitas causas, mas as principais são efeitos colaterais de medicações de uso contínuo e a respiração pela boca, comum em quem tem dificuldade de inspirar e expirar pelo nariz. Além disso, a radioterapia ou a quimioterapia para câncer de boca se destacam, já que afetam as glândulas produtoras da saliva.

Quem está mais suscetível ao problema?
A xerostomia é mais comum entre os idosos, especialmente porque, com o envelhecimento, ocorrem modificações naturais na cavidade oral. Além disso, esses indivíduos geralmente integram o grupo dos que fazem uso contínuo e combinado de muitos fármacos. Pessoas que respiram pela boca e pacientes que estejam sob tratamento radioterápico, igualmente, precisam ficar atentos.

A hora de procurar ajuda especializada:
Pessoas que convivem com problemas crônicos e fazem uso contínuo de medicamentos, já a partir do diagnóstico de suas respectivas doenças, devem ser orientados a procurar um dentista para avaliação e acompanhamento periódico. Isso porque o tratamento da boca seca é mais eficaz quando feito de forma integrada. As visitas ao dentista devem ser regulares e menos espaçadas, especialmente na idade madura. Todo cirurgião dentista é capaz de identificar o problema e fazer o diagnóstico.

Fonte: Viva Bem/Uol
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • E-mail
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia