Sexta-feira, 07 de agosto de 2020
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • E-mail
Buscar
Fechar [x]

BLOGS E COLUNAS

Inteligência emocional

03/07/2020 07h00

Está acontecendo algo inédito. Nossa mente está entrando em uma nova fase, tornando-se ciente da evolução.

Nunca uma cultura se propôs a fomentar o conhecimento como agora. Hoje sabemos que o uso das capacidades intelectuais não está confinado apenas à elite.

Portanto devemos prestar atenção em tudo, facilitando a percepção, reforçando a memória, acelerando o ritmo de aprendizado que ajuda na integração entre os dois hemisférios cerebrais, promovendo a coerência entre as regiões velhas e novas.

Use mais a intuição; saiba que ela não está separada do intelecto. Podemos dizer até que a intuição abrange o intelecto. A pesquisa do cérebro está revolucionando a diferença da percepção dos indivíduos do sexo masculino e feminino.

Deveríamos, desde cedo, ser estimulados em nossas capacidades naturais. Em outras palavras: um menino que joga futebol muito bem pode ter dificuldades em realizar uma operação matemática e isso não quer dizer que seja menos inteligente.

Cada uma das múltiplas inteligências são fundamentais, mas infelizmente os educadores e os pais descrevem a criança simplesmente como "inteligente ou não" pelo resultado de uma equação matemática. Atualmente o Quociente Emocional (QE) de uma pessoa é mais importante que o Quociente de Inteligência (QI).

Existem sete tipos de inteligência emocional:


Lógico-matemática: capacidade de raciocínio lógico e compreensão dos modelos matemáticos. Ex.: cientistas.

Linguística: é o domínio da linguagem verbal e a habilidade para lidar criativamente com as palavras. Ex.: oradores, professores, políticos, radialistas, etc.

Espacial: capacidade de manobrar e operar utilizando o sexto movimento, localização e direção. Ex.: comandantes na aeronáutica, exército e marinha.

Musical: Domínio da expressão através dos sons. Mozart a possuía em alto grau.

Corporal-Cinestésica: capacidade de resolver problemas ou elaborar produtos explorando os movimentos do corpo inteiro ou partes dele. Ex.: jogadores de futebol - Pelé, Ronaldinho, etc.

Interpessoal: relaciona-se com os outros, entendendo suas reações, gerando empatia. Ex.: apresentador de TV.

Intrapessoal: habilidade de administrar sentimentos e emoções a favor dos próprios projetos. Grande capacidade de autocompreensão e automotivação. Ex.: Ghandi, líder espiritual.

Para a Inteligência Emocional, o menos relevante é o grau de escolaridade; o fundamental é sentir, emocionar-se como pessoa e não apenas teorizar as emoções.

E você? Identificou o seu tipo de QE?

MONICA BUONFIGLIO
Magia dos Anjos
Monica Buonfiglio é editora e escritora, com 50 livros publicados. É também comunicadora da Rádio Mundial. Foi recordista de vendas permanecendo na lista dos mais vendidos com três obras no ranking de best-sellers. Seus livros foram lançados também em outros países. Recebeu vários prêmios e homenagens por sua contribuição a cultura e educação no Brasil e no exterior.
CARREGAR MAIS
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • E-mail
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia