Quinta-feira, 23 de setembro de 2021
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Buscar
Fechar [x]
GERAL
04/08/2021 15h55

Clínica de emagrecimento é alvo de buscas e sequestro de veículos e de imóveis de luxo

São nove ordens judiciais cumpridas em operação de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro

Nove ordens judiciais de busca e apreensão estão sendo cumpridas em clínicas de beleza de Itajaí e Balneário Camboriú na operação Dieta, do Ministério Público Federal, em conjunto com a polícia Federal e a Receita Federal. Os mandados foram cumpridos na sede e nos escritórios do Magrass e na casa dos donos da clínica de beleza.


As ordens de busca foram determinadas pela Justiça Federal de Itajaí para a apuração dos crimes de organização criminosa, sonegação fiscal, lavagem de capitais e evasão de divisas. As ordens foram cumpridas na clínica da avenida do Estado Dalmo Vieira, entre Itajaí e Balneário, na Quarta avenida e na Barra Sul.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante o cumprimento, a Receita Federal também intimou os acusados de envolvimento no suposto esquema criminoso. A estimativa é que o grupo desviou R$ 15 milhões ao deixar de recolher impostos.


O valor considera impostos não recolhidos e a multa aplicada nos casos em que se comprovem as irregularidades: multas que podem chegar a 150% do valor devido quando se constata a fraude para cometer a sonegação.


A operação também cumpre o sequestro de veículos e imóveis de luxo ligados aos investigados. As investigações tiveram início nos negócios do grupo na região e foi estruturada de modo a permitir a prática de sonegação fiscal, lavagem de capitais e evasão de divisas. 


Foi apurado um sistema de caixa 2 das empresas pertencentes ao grupo econômico formado por diversos CNPJs, com transferência de valores indevidos entre as pessoas jurídicas, aquisição de bens em nome de terceiros e possível remessa ilegal de dinheiro ao exterior.


Após o cumprimento dos mandados, as investigações prosseguirão para apurar as responsabilidades de todos os envolvidos. Onze auditores-fiscais da Receita Federal participaram da ação. As empresas continuam funcionando normalmente até o pedido judicial para interdição dos locais ser julgado.

Fonte: Diarinho | Foto: Divulgação
Agora Sul
  • WhatsApp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Contato
Sulagora.com. Tudo o que acontece no Sul. Agora. © 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.